2 de jun de 2011

Um cantinho só meu


Todos nós precisamos de um espaço só nosso. Nesse lugar temos total liberdade para meditar, ler, pintar ou bordar! Mesmo dividindo espaço com uma linha imaginária, um dos lados precisa ser chamado de "só meu".

Se cada morador de uma casa tiver seu canto, mais fácil será manter a ordem dos espaços compartilhados. Assim, as diferenças entre as pessoas começam a diminuir e a convivência se torna mais prazerosa.

Seu marido ou filhos costumam deixar tênis, jornais, livros, CDs, revistas, controle remoto, entre outros itens, espalhados na sala? O que você tem feito para que isso não aconteça? Já tentou "de tudo" e não adiantou nada?

Então está na hora de mudar a forma de pedir, de cobrar, de falar, de reclamar, de resmungar, enfim, é preciso agir de uma maneira completamente diferente. A reação das pessoas envolvidas não deve ser a mesma: deixar tudo espalhado, todos os dias, no ambiente utilizado por todos.

Você já percebeu que muitas vezes fazemos as mesmas coisas querendo resultados diferentes?
Então, vamos fazer diferente!
• Verifique se está faltando teto para cada categoria de coisas que estão espalhadas;
• Explique para seus familiares como é importante para você ter e manter uma casa organizada;
• Fale sobre os benefícios da organização e os prejuízos que a desordem acarreta;
• Juntos, descubram, criem, inventem um teto para cada categoria. Pode ser de uma forma lúdica para que todos brinquem com "os sem teto" de sua casa;

Até aqui, tudo bem? Vamos experimentar?

No próximo post, veremos os resultados!

Ótima semana a todos.
Um abraço
Cecília

Nenhum comentário:

Postar um comentário